A criação do mundo.

O mundo foi criado em 6 dias… ou, do poder de um bom planejamento.
Se o mundo foi criado em 6 dias, precisou de muito mais para ser planejado. E as coisas, a despeito de eventuais dilúvios, funcionaram bem. Desde o insight até o posicionamento e estratégia, com todas as conexões, convergências e evoluções que o Planejamento projetou, tudo nos trouxe até aqui. Bem ou mal, estamos vivos e consumindo.
Acreditamos na força do planejamento.

A criação ficou demais.
Na época, a obsessão pelo clean e pela economia de texto e sentidos não estava na moda. O gosto e o prazer de criar, testar, investigar, moldar, empetecar, arriscar era o que contava. Abundância, extravagância, forças naturais incontroláveis, fogo e água disputando espaço entre o céu e a terra. Tudo tinha uma boa razão para estar onde estava.
A relevância e a diferenciação é o que conta..

Verdade que o resultado podia ter sido melhor.
Corre o boato de um Criador aborrecido, de que o Cliente acabou mexendo, juntando partes e sentidos diferentes, aumentando o logo e o pescoço, reduzindo o consumidor e as pernas a meros coadjuvantes, enfim… E deu nisso… Girafas e tartarugas… Nós até que gostamos dos bichos. Sobrou o boato, mas o que importa mesmo é o Resultado.

O pecado original.
Uma ideia. Uma ideia unificadora. Uma ideia que projete o essencial, forme, informe, atraia e transforme. Ambição é tudo. Somos ambiciosos. O desejo é tudo. Ele nos tirou das cavernas. E suas imagens e formas estão ainda hoje presentes, testemunhas incontestáveis da força da propaganda.  Sem ideia, não há movimento. Não há desejo.

6 dias para criar e uma eternidade para entregar.
Quem teve a brilhante ideia de criar o mundo? Onde nasceu tal explosão de criatividade?
Não importa. O difícil mesmo tem sido entregar tudo isso.
E aqui aparece o compromisso. A disposição. A força da execução. Um trabalho invisível, incrível e pouco valorizado. Parece natural, mas não é.
Sem entrega, não há nada. Não há ideia que prospere.

Planejamento, Criatividade, Compromisso.
No final das contas, tudo, todas as histórias se resumem a bandeiras, símbolos, marcas.
Sem estratégia, sem criatividade e sem compromisso, não sobra nada. Resultado zero.
E nós não queremos o nada. Queremos tudo. Fale com a gente!

Comments are closed.